agile-vs-tradicional-01

A ideia com este post é apresentar um comparativo entre metodologias tradicionais e ágeis, expondo para isto os principais aspectos que caracterizam estas duas abordagens.

Os diferentes pontos sob análise podem ser observados na próxima tabela:

Abordagem Tradicional Abordagem Ágil
Planejamento rígido Maior liberdade no planejamento das ações
Resistência a mudanças Flexibilidade e uma postura positiva diante da necessidade de mudanças (mesmo em fases finais do projeto)
Decisões tomadas em uma abordagem top-down Liberdade para que o time tome decisões em conjunto
Forte centralização em torno da figura do 'gerente de projetos' Reponsabilidade compartilhada entre os membros da equipe, espírito de colaboração
Uma liderança que monopoliza toda a comunicação, já que está preocupada com o comando e o controle minucioso das ações Comunicação fluída e livre entre os membros do time
Líderes indicando 'O que fazer', 'Como', ao invés de dizer o 'Porquê' Equipes auto-organizáveis; a divisão do trabalho é resultado do entendimento do projeto e de um consenso entre o time
Problemas geralmente escalados até a gerência Atuação conjunta do time para a resolução de problemas
O planejamento costuma prever um trabalho extenso, com a entrega do produto somente nos estágios finais do cronograma (o que muitas vezes leva a conflitos junto ao cliente) Entregas de partes do projeto de forma contínua e incremental (iterações), a fim de obter um rápido feedback do cliente acerca do andamento do projeto
Uma longa fase de análise; em muitos casos, parte da equipe é deixada de lado nestes estágios iniciais (já que considera que tais membros ingressarão apenas na fase de execução) Reuniões diárias entre o time; o intuito disso está em discutir o que será feito naquele momento, revendo o planejamento a médio e curto prazo, além de prováveis impedimentos
Um forte enfoque na geração de documentos e no controle através destes artefatos Embora existam documentos e se estimule a criação dos mesmos, há um pragmatismo maior (sem conferir uma importância exagerada a estes artefatos)
Um maior foco em processos do que no produto esperado Menos formalidade e maior ênfase em se chegar ao produto esperado
Maior envolvimento do cliente em estágios iniciais, com um certo relaxamento de postura uma vez que o projeto tenha se iniciado Participação ativa do cliente, inclusive enquanto o projeto está sendo implementado
Foco na 'antecipação' (algo difícil em um ambiente sempre sujeito a mudanças repentinas) Ênfase na 'adaptação' (requer 'jogo de cintura')

À primeira vista, uma rápida leitura deste comparativo pode levar à falsa impressão de que métodos ágeis como Scrum representam a melhor alternativa. Na verdade, a seleção da opção mais adequada dependerá de diversos fatores. Dentre as questões a serem consideradas estão as características de específicas de cada projeto, da própria empresa, além dos conhecimentos em gestão dos responsáveis por uma equipe técnica.

A abordagem tradicional costuma ser a escolha mais indicada para cenários mais formais, nos quais a documentação detalhando as diferentes fases de um projeto representa uma exigência do negócio (normalmente em decorrência de obrigações junto a processos de auditoria). O gerenciamento em tais casos é realizado tomando por base as orientações propostas pelo PMBOK, um famoso guia de boas práticas na condução de projetos elaborado pelo PMI (Project Management Institute).

Já a adoção de um modelo ágil tende a ser o melhor caminho para equipes menores, em que a flexibilidade diante de constantes mudanças é fundamental na execução das atividades rotineiras. Isto não significa que uma metodologia como Scrum não possa ser empregada em grandes projetos. Há inclusive uma tendência em se combinar elementos das duas abordagens aqui discutidas, selecionando os pontos que melhor se adaptam a uma determinada situação.

Espero que o conteúdo aqui apresentado tenha sido útil.

Até uma próxima oportunidade!

Referências

Desenvolvimento ágil com Scrum: uma visão geral
http://www.devmedia.com.br/desenvolvimento-agil-com-scrum-uma-visao-geral/26343

Guia PMBOK & Padrões
http://brasil.pmi.org/brazil/PMBOKGuideAndStandards.aspx

Renato Groffe

Atua como consultor em atividades voltadas ao desenvolvimento de softwares há mais de 13 anos. Bacharel em Sistemas de Informação, com especialização em Engenharia de Software. Microsoft Certified Technology Specialist (Web, WCF, Distributed Applications, ADO.NET, Windows Forms), Microsoft Specialist (HTML5 with JavaScript and CSS3, Developing ASP.NET MVC 4 Web Applications), Oracle Certified Associate (PL/SQL), Sun Certified (SCJP, SCWCD), ITIL Foundation V2, Cobit 4.1 Foundation.

Facebook Google+ 

Comentários

comentarios