Olá galera esse é meu primeiro artigo aqui no .NetCoders e hoje eu vou explicar o que é o BPM e como usar o BPMN nos processos de cada área de uma empresa.
Mas antes de explicar vou fazer uma breve descrição do que é o BPM e como podemos usar o BPMN 2.0 para facilitar nos fluxos de processo.

Entendendo o que é o BPM

O BPM ou Business Process Management (Gerenciamento de Processos de Negócio) é uma metodologia que facilita o mapeamento de cada processo sem que as informações passem despercebidas, ou seja, ele traz à tona as informações pertinentes aos processos utilizados a fim de que possam ser melhorados. Existem vários casos em que as empresas mudam os seus processos e as demais áreas nem percebem que houve alguma mudança. O BPM veio para identificar, desenhar, executar, documentar, medir, monitorar, controlar e melhorar processos de negócio sejam eles automatizados ou não, para alcançar os resultados pretendidos por uma organização.
O BPMN ou Business Process Model Notation (Notação de Modelagem de Processos de Negócio) é um desenho gráfico – como veremos a seguir – onde são mapeados os processos de uma organização através de símbolos, de tal maneira que fiquem melhores e mais organizados, sendo eles orientados ou não por desenvolvimento de software. O BPMN foi desenvolvido pelo BPMI (Business Process Managament Initiative) tendo sido subsequentemente incorporado ao OMG (Object Management Group), organização a qual detém o controle da UML. É dito que futuramente será feita uma fusão entre ambos a fim de se criar maior sinergia entre as organizações.
O BPMN tem sido utilizado no mundo inteiro, sendo que hoje em dia há uma grande oferta de ferramentas de mapeamento de processos e também uma grande procura desses profissionais especialmente aqui no Brasil. Devido à sua grande aceitação, o BPMN está ajudando a disseminar conceitos relacionados a processos de negócio e é considerado hoje uma característica chave de qualquer iniciativa BPM.
Os profissionais que utilizam o BPMN, são basicamente, analistas de negócio, desenvolvedores e gestores de projeto.

O que são Processos

Processos são conjuntos de atividades ou métodos que ocorrem no dia-a-dia de uma área de determinada empresa, sejam elas realizadas por humanos ou máquinas. Existem três tipos de processos de negócio: primários, de suporte e de gerenciamento.

• Processos Primários: são de natureza interfuncional e compõem a cadeira de entrega de valor para o cliente.
• Processos de Suporte: são os que habilitam outros processos.
• Processos de Gerenciamento: são processos que medem, monitoram e controlam atividades de negócio, assegurando que os processos primários e de suporte atinjam suas metas.

BPMN

Elementos

Um elemento-chave da BPMN é a escolha de formas e ícones usados para os elementos gráficos, onde uma vez identificados, servirão para criar uma linguagem visual-padrão em que todos os modeladores do processo irão reconhecer e compreender.
A modelagem é feita por diagramas simples com um pequeno conjunto de elementos gráficos que têm por objetivo prover instrumentos para o mapeamento do processo a fim de que seja realizada de maneira padronizada. Facilitando a capacidade de se mapear os processos internos e externos da organização, atualizar seus modelos de acordo com as regras estabelecidas na empresa e sem afetar as especificações anteriores. Os elementos são divididos em quatro categorias básicas: Objetos de Fluxo, Objetos de Conexão, Swimlanes e Artefatos.

• Objetos de fluxo são os principais elementos gráficos para definir o comportamento do processo de negócio. Eles podem ser de três tipos:

◊ Eventos
◊ Atividades
◊ Decisões (gateways)

• Objetos de Conexão são representações de como os objetos de fluxo se conectam. Eles se dividem também em três tipos:

◊ Fluxo de sequência: Representa a ordem do fluxo, ou seja, sua sequência
◊ Fluxo de mensagem: Representa o fluxo das mensagens entre o emissor e o receptor
◊ Associação: Usada para associar dados, textos e outros artefatos aos objetos do fluxo

• As Swimlanes representam uma forma de organização das atividades em categorias visuais separadas e agem como um contêiner para os objetos de fluxos. São elas:

◊ Pool
◊ Lanes

Os artefatos são usados mais para adicionar informações no processo. Eles podem também ser utilizados para representar as entradas e saídas de determinada atividade. Ao todo temos três tipos de artefatos:

• Objetos de dados: Elementos produzidos ou requeridos por uma atividade, conectados às mesmas por meio de associações;
• Grupo: Possui finalidade de documentação ou análise;
• Anotações: Usados para passar ao leitor informações adicionais de uma atividade.

Principais Características

• Ícones organizados em conjuntos descritivos para atender a diferentes necessidades de utilização
• Notação que permite a indicação de eventos de início, intermediários, de fluxo de mensagens, de comunicação intra negócio e de colaboração inter negócio
• Flexível – O BPMN deve ser capaz de mapear os processos da organização, sendo eles internos ou externos (B2B)
• Simples – O BPMN pode começar a ser utilizado com elementos básicos de fluxograma (“core elements”) e evoluir para elementos mais complexos
• Expansível – A organização deve poder expandir o modelo de acordo com regras e interesses próprios, criando novos instrumentos de modelagem, sem prejudicar a especificação já existente

Quando usar

• Para apresentar um modelo de processos a um público-alvo diferente
• Para gerar aplicações em BPMNs a partir dos processos
• Para gerar informações de macro-processos

Vantagens

• Suportado por ferramentas BPMNs
• Uso e entendimento difundido em muitas organizações
• Versatilidade para modelar as diversas situações de um processo
• Visão e compreensão do processo

Desvantagens

• Exige treinamento e experiência para o uso correto dos símbolos
• Como no BPMN você tem uma visão macro do processo, ele acaba dificultando os outros níveis de um processo.
• Não é possível mapear organogramas, telas de sistemas, mapas estratégicos, esquemas

 

Diagramas de modelagem BPMN – componentes básicos

O diagrama de processos é um recurso parecido com um fluxograma, mas a sua intenção é descrever um fluxo de trabalho através de caixinhas, losangos e setas que indicam a sua direção. A seguir será detalhado cada componente da notação utilizada nos diagramas para melhorar o entendimento dos diagramas.

Tipo Descrição Notação
     Evento Um Evento é algo que “ocorre” durante o curso de um processo. Estes eventos indicam o fluxo do processo e usualmente possuem uma causa (gatilho) ou um impacto (resultado). Três tipos são possíveis: início (inicia o processo), intermediário e final (finaliza o processo).                   inicio
Eventos com denominação de tipos Os eventos podem ter denominação a causa de sua existência.    geraiseventos
Tarefa Tarefa é uma atividade de pouca abrangência(atômica). É usada quando o trabalho no processo não será mais detalhado em níveis inferiores de detalhamento gráfico.                tarefa
Subprocesso Adicional Os detalhes do subprocesso não estão visíveis no diagrama. Um sinal “+” indica que este subprocesso possui níveis adicionais de detalhamento.            subprocessoadc
Subprocesso expandido As fronteiras do subprocesso é expandida e os detalhes do mesmo são visíveis dentro da fronteira.Note que a sequência do fluxo não poderá cruzar a fronteira do subprocesso.   subprocessoexpan
Portal (gateway) É usado para controlar a divergência ou convergência de múltiplas sequências de fluxos. Determinará a geração de ramificações, bifurcações e uniões de diversos caminhos do fluxo.                     portalgatway
Portal – tipos de controles Os ícones com o losango indicarão o tipo de comportamento do gateway:XOR: Decisão ou união exclusiva;OR: Decisão ou união inclusiva. Uma ou outra opção podem ser aceitas;Complexa: Múltiplas opções são aceitas;AND: junção ou separação paralelas.      portaleventos
Sequência de fluxo normal Refere-se ao fluxo originado a partir de um evento e continua através de atividades até o evento final, não dependente de condições.     fluxoNormal
Sequência de fluxo condicional O fluxo seguirá dependendo de condições estabelecidas.Somente usada este representação quando não for usada a representação condicional com o losango.    SequenciaFluxoCondicional
Sequência de fluxo condicional padrão Usado quando a opção de decisão é a predominantemente mais usada, ou seja, é uma resposta padrão.  SequenciaCondicionalPadrao
Exceção em fluxo Ocorre quando algo ocorre fora do planejado para o fluxo e é baseado em um evento intermediário que ocorre durante a execução do processo         excecaoFluxo
Fluxo de mensagem É usado para mostrar fluxo de mensagens entre duas entidades que podem enviar e recebê-las. No BPMN, duas piscinas (pools) separadas num diagrama representarão duas entidades.         fluxo de Mensagem
Associação de compensação Ocorre fora do fluxo normal e é baseado em um evento que é acionado por uma falha de transação. O objetivo da associação (atividade) deve estar marcada com tal, com setas de retorno.  associacaoCompensacao
Distribuição (Fork– AND) Usado para dividir um caminho em dois ou mais caminhos paralelos. A tarefa passará a ser executada de modo concorrente.Pode ser representada de dois modos, conforme mostrado ao lado.    Distribuir
Objeto de dados São considerados artefatos porque não possuem qualquer efeito direto sobre o fluxo de atividades ou mensagens,mas provê informação sobre o que atividades requerem para serem executadas e/ou o que produzem.            objeto de dados
Junção (Join –AND) Usado para juntar dois caminhos paralelos em um único caminho, como forma de sincronização.   joinAnd
Decisão baseada em dados A alternativa a seguir depende do atendimento às condições expostas. Somente um caminho poderá ser seguido.   decisao
Decisão baseada em evento A alternativa a seguir dependerá do evento que ocorre no processos. Normalmente um tipo de mensagem seria o evento que determinaria o caminho a seguir. Outros tipos de eventos, como cronômetros, podem ser usados.Somente uma alternativa é possível. usados.  DecisaoBaseadaEvento
Decisão inclusiva Representa o ponto onde as alternativas são baseadas em expressões condicionais.Uma condição padrão (default) pode ser usada.     decisaoInclusiva
Junção (OR –Join) Combinação de dois ou mais caminhos em um único caminho, mas não em paralelo, ou seja, bastará vir de uma das direções para encaminhar o processo.  juncaoOrJoin
Atividade em repetição (looping) Indica que uma atividade deve ser repetida uma ou mais vezes, se uma condição interna não for atendida. Um símbolo de  repetição é colocado na parte central inferior da atividade.             atividadeRepeticao
Seqüência em repetição (looping) Repetição pode ocorrer em sequências de atividades.  SequenciaLoop
Instâncias múltiplas Determinará se instâncias múltiplas da atividade podem ocorrer em paralelo. Um indicador com duas linhas em paralelo indica esta condição.           InstanciaMultipla
Interrupção de processo (algo fora do controle do processo faz o mesmo parar) Mostra quando é esperado um período de espera dentro de um processo. Um evento intermediário é usado.  InterrupcaoProcesso
Transação É um subprocesso que é suportado por um protocolo especial que garante que todas as partes envolvidas tenham concordado que a atividade foi completada ou cancelada.Uma linha dupla indica que o subprocesso é uma transação.          Transacao
Grupo Um grupo de atividades que são marcadas dentro de um retângulo para fins de documentação ou análise. Não afeta o andamento do processo.           Grupo
Conector de páginas Geralmente usado em impressão, este objeto é utilizado para indicar onde o fluxo deixa uma página e inicia em outra. Um evento intermediário de ligação é usado como conector de páginas.                ConectorPagina
Associação É usado para associar informações com objetos do fluxo.Textos e objetos que não sejam do fluxo podem ser associados com objetos do fluxo.          Associacao
Anotação de texto É um mecanismo para adicionar informação complementar ao diagrama.  texto
Piscina (pool) Representa a porção maior do processo e contém as raias(lanes) que conterão por sua vez as atividades, eventos,etc.Em um contexto de B2B pode-se ter mais de uma pool para descrever o processo como um todo.  Processo
Raias (lanes) É uma partição da piscina e se estende por toda sua extensão. Pode ser vertical ou horizontal (mais comum).Normalmente, o nome que encabeça cada raia é o papel funcional que executará as atividades nela contida.  lanes

Conclusão

O BPMN vem ganhando mais espaço aliada com ferramentas especificas para a modelagem de negócios, desestimulando o uso de fluxos genéricos, descrições textuais e fortalecendo a linguagem única para a modelagem e gestão de processos de negócio, contribuindo para o ganho de produtividade clareza em suas informações distribuídas.

No próximo artigo veremos alguns exemplos mais práticos. Até logo =]

Referências
http://blog.iprocess.com.br/
http://www.bpmn.org/
IFES –Manual de Modelo Gestão de BPM

Claudia Carolina

Claudia Carolina Boletti, paulista 25 anos, analista de sistemas, atua na área desde 2008, experiência em análise, arquitetura, diagramação e programação, utilizando a plataforma Microsoft, experiência nas áreas: engenharia mecânica,engenharia automação e financeira.Ama tecnologia!

LinkedIn 

Comentários

comentarios